PROTISTAS
DOENÇA DO SONO AMEAÇA QUATRO MILHÕES DE PESSOAS



Quatro milhões de angolanos estão em risco de serem afectados pela tripanossamíase, ou doença do sono, anunciou ontem o instituto para o controlo desta epidemia em Angola. Em 2000, as autoridades recensearam oito mil novos casos da doença do sono em sete das 18 províncias do país. Um número que se mantém constante desde 1974 e que ameaça aumentar agora.

"Se não forem tomadas medidas de imediato, a tripanossamíase pode atingir quatro milhões de angolanos em poucos anos", alertou o especialista Teofilo Josenando, na abertura de uma conferência em Caxito, perto de Luanda. "A mosca tsé-tsé, que transmite a doença, reproduz-se já em 14 províncias do país. E poderá haver novos casos nas províncias de Lunda-Norte, Lunda-Sul, Moxico, Kuando-Kubando, Bié e Cabinda", continuou.

Os peritos reunidos na conferência querem sensibilizar os dirigentes das diferentes organizações não governamentais que actuam em Angola para mobilizarem recursos humanos e materiais que permitam ajudar o Governo a combater o problema. Actualmente, apenas cinco por cento das pessoas afectadas tiveram acesso a cuidados médicos e no Caxito o hospital que alberga estes doentes tem falta de água potável, medicamentos, especialistas e equipamentos.

O governo angolano lançou em Outubro a primeira etapa de uma campanha de luta contra a doença, subsidiada em dois milhões de dólares (450 mil contos). A acção deverá durar três anos e tem um financiamento total de 14 milhões de dólares (3,1 milhões de contos).

in Diário de Notícias, 16 de Dezembro de 2000

© CienTIC - José Salsa, 2003 - optimizado para 1024 x 768