PROTISTAS

Estrutura da paramécia

Os protozoários podem atingir níveis de complexidade estrutural muito elevados. Certas estruturas celulares podem ser tão especializadas que desempenham funções similares aos órgãos de organismos multicelulares complexos como os animais. As paramécias estão provavelmente entre os protozoários com estrutura celular mais complexa.



 

Cílios
revestem externamente o corpo celular da paramécia. Com batimentos rítmicos e sincronizados permitem a deslocação através da água e também são importantes na condução de partículas alimentares para o sulco oral.

Sulco oral
sulco no corpo celular para onde são conduzidas as partículas alimentares com destino ao citoplasma.

Citofaringe
espécie de boca celular em forma de goteira que, no seguimento do sulco oral, conduz as partículas alimentares em direcção ao interior da célula.

Vacúolos digestivos
formam-se, na extremidade da citofaringe, por endocitose das partículas alimentares alojando, assim, o alimento a ser digerido dentro da célula (digestão intracelular).

Local de exocitose
espécie de ânus celular ou poro anal, formado à superfície de certas regiões do corpo celular aquando da expulsão, por exocitose, de resíduos alimentares não aproveitados.

Vacúolos contrácteis
responsáveis pela osmorregulação, isto é, pela regulação do equilíbrio hidríco da célula. Como estes organismos vivem na água doce, há tendência para a água entrar na célula por osmose. O excesso de água é drenado para as vesículas do vacúolo contráctil que, por contracção, a expelem para o exterior através de um poro excretor.

Macronúcleo
também chamado núcleo vegetativo é o maior de dois núcleos presentes na célula; é responsável pelo metabolismo celular nomeadamente no que se refere aos aspectos tróficos.

Micronúcleo
núcleo germinativo, é responsável por mecanismos de recombinação génica na reprodução sexuada.

© CienTIC - José Salsa, 2003 - optimizado para 1024 x 768