EVOLUCIONISMO
BIÓLOGO DIZ QUE A TEORIA DE DARWIN
NÃO EXPLICA ABSOLUTAMENTE NADA


A teoria evolucionista de Darwin não explica nada. A provocação é do biólogo António Amorim, que coloca em causa o edifício em que a biologia é ensinada nas escolas. No livro A Espécie das Origens, hoje lançado no Porto, Amorim apresenta um novo conceito: o das evoluções, porque existem mecanismos tão diversos no processo que «não há uma explicação única para o que tem bases tão diferentes».

O investigador da Faculdade de Ciências e Instituto de Patologia e Imunologia tem consciência de que, «infelizmente», o livro é polémico. Põe em causa a «tradição mental» que vê no darwinismo uma teoria científica. Para o autor, essa corrente de pensamento «não é nem uma teoria, nem é ciência no sentido moderno». Darwin tem de ser excluído da biologia porque não é possível, a partir do que defendeu, fazer previsões. À nova perspectiva não será alheia o facto de a ciência ter evoluído dos grandes «porquês» para os pequenos «comos».

E da questão sobre como se processa a reprodução surge uma divisão tão grande entre duas formas que é impossível abarcá-las com uma única teoria: a reprodução de tipo sexual e a de tipo clonal. «A forma de transmissão da informação é tão diferente que, para explicá-las, estamos perante metodologias completamente distintas», aponta António Amorim. O problema, reconhece, é que atacar o darwinismo é entendido como «ser-se criacionista», quando o pensador britânico apenas «substituiu a divindade por outra entidade que é quase um deus, a natureza».

in Diário de Notícias, 10 de Dezembro de 2002

© CienTIC - José Salsa, 2003 - optimizado para 1024 x 768